Meldarion

Meldarion é um Paladino da Ordem dos Cavaleiros de Sangue, ordenado no ano 26 por Lady Liadrin. Desde então, dedicou-se basicamente ao ensinamento de novatos nos Salões de Sangue em Luaprata.

No entanto, sua história é bem mais longa do que os anos como paladino. Meldarion nasceu 1000 anos antes da Terceira Guerra em Luaprata. Seu treinamento inicial fora de sacerdote sagrado e por muito tempo ele usou seus conhecimentos para ajudar os feridos da Guarda Real.

Meldarion viu os dias de glória de Luaprata e de toda Quel’Thalas durante muitos anos. Nesse período, ele adquiriu muito conhecimento sobre a Luz e sobre todo o reino. No entanto, tudo isso foi colocado em cheque na Terceira Guerra, quando o Flagelo marchou em direção a Luaprata.

A queda de Luaprata devastou a população dos elfos altaneiros. Estima-se que 90% da população tenha sido dizimada. Sobre os cadáveres e sobre as ruínas o até então Arquimago Rommath coordenou a reconstrução de Luaprata, com os poucos sobreviventes que lá estavam.

E Meldarion estava lá e tinha perdido a fé na Luz. No momento mais desesperador, na hora de maior aflição, a Luz havia abandonado os Elfos para serem trucidados pelo exército de Arthas. O próprio Rei Anasterian Andassol havia caído pelo fio da Gélido Lamento empunhada por Arthas. Nesse momento, a esperança era algo que estava realmente distante dos sobreviventes, até porque nem seus poderes ele havia conservado. Ele sentia como se a Luz o tivesse esquecido por completo.

Luaprata ainda juntava os cacos da Invasão do Flagelo, da queda da família Andassol, da morte de Sylvanas, corrupção da Nascente do Sol quando se viu isolada pela Aliança de Lordaeron. Na época, a Aliança considerou que ajudá-los estava fora de seu alcance, por considerarem Kael um traidor da Aliança por ter aceitado ajuda das nagas em sua empreitada.

Kael’thas estava em Terralém, em sua cruzada insana por poder para reerguer o reino. Ele deixou Lor’themar Theron como Regente de Quel’Thalas em sua ausência. O que não se imaginava, era que essa ausência seria definitiva. Nesse cenário, Meldarion viu a ameaça dos Trolls Amani crescer nas fronteiras, pois faltavam recursos para mantê-las. A ajuda veio de onde não se esperava.

Sylvanas havia tomado Lordaeron para os renegados e estava controlando um exército bastante consistente. Ela havia se aproximado de Thrall, Cairne e da nova Horda. Sem alternativas, Lor’themar aceita entrar para a Horda.

Na mesma época, Rommath, agora Grão Magíster, convence Lady Liadrin a fundar a ordem dos Cavaleiros de Sangue e retomar a fé na luz, numa academia de paladinos. Isso despertou o interesse de Meldarion, que se via na necessidade de encontrar novamente fé e esperança.

Meldarion então se junta aos Cavaleiros de Sangue e inicia seu treinamento como paladino. Conforme ele evolui no treinamento, ele sente que na verdade a Luz nunca o abandonara, mas sim que ele, assim como seus amigos, se desesperaram com a investida do Flagelo e esvaíram sua fé. Quando formado, ele percebe o quão importante para o fortalecimento do reino é que ele fique e ajude outros novatos e não permitir que a fé na luz falte novamente aos defensores de Luaprata.

Muitos anos se passam e essa vida pacata de Meldarion lhe dá ânimo para voar mais alto. Ele sente que o reino está suficientemente seguro para que possa dispor de um professor. Ao receber as notícias de que a Horda havia se aproximado dos Zandalari, ele percebe que é importante ir até Zuldazar e estreitar laços com eles, na esperança de que a proximidade com os Zandalari arrefeça o ímpeto dos Trolls Amani, poupando muitas vidas nos conflitos diários pelas fronteiras do reino.

Assim, Meldarion entra na Batalha por Azeroth, em busca de desafios e de colocar seus conhecimentos em prática.

Botão Voltar ao topo
Fechar