Crônicas

Sepulcro dos Primogênitos. Começo da campanha em Zereth Mortis e incursão na raide.

Olá Azeroth!

Patch 9.2 no ar, campanha iniciada em Zereth Mortis e raide aberta. O que nos aguarda nos momentos finais da controversa expansão Shadowlands? Hoje vamos abordar o que vem acontecendo desde que o Carcereiro conseguiu o selo da juíza em Oribos e abriu seu caminho para o coração arquétipo de Zereth Mortis para realizar finalmente seu plano, que é a reordenação do cosmos.

Em posse de todos os selos reforjados dos pactos, o Prócer pede para que os atendentes recomponham o novo signo da Juíza. Com o poder de todos os signos reforjados, o Prócer abre o portal para Zereth Mortis, no entanto, forças Nathrezim combinadas com Górjuros atacam Oribos novamente, tentando impedir que os heróis consigam atravessá-lo.

Com esforço, os heróis, juntamente com Pelagos, conseguem adentram o Portal e acessar Zereth Mortis. Chegando lá, eles fazem contato com uma expedição de corretores que está lá a muito tempo e decidiu ficar por lá. Eles se intitulam Os Iluminados e já possuem um vasto conhecimento sobre a região. Com a crescente ameaça de Zovaal, eles acabam aceitando a ajudar os heróis a enfrentar Zovaal.

Os heróis então conseguem ativar uma Pedra de Pórtico até Oribos, estabelecendo contato com Bolvar Fordragon e  Uther, o Arauto da Luz. Estes chegam em Zereth Mortis e informam que Sylvana Correventos despertou. Essa é a primeira cinematic do patch, mostrando Uther entrando dentro de sua mente e lhe orientando no caminho de reunificação dos fragmentos de sua alma, conforme vimos no final da raide Sacrário da Dominação.

Então os heróis fazem contato com Firim, um corretor que é distante dos demais, porque é considerado problemático. Firim então começa a ensinar aos herois a linguagem dos Primogênitos. Essa linguagem é a chave para resistir à magia de dominação, pois ela não é textual, e sim cifrada.

Com essa ajuda, os herois conseguem reativar o portal que leva ao Sepulcro dos Primogênitos, que é a última raide de Shadowlands. Serão 10 chefes no caminho até Zovaal, o último chefe da expansão. De modo inédito, a primeira semana de raid foi aberta com 8 chefes, para completar o arco de missões da história até então. O oitavo chefe é Anduin Wrynn, onde ocorre o primeiro ponto crítico da história da raide.

Essa talvez é uma das cinematics mais controversas da história recente de World of Warcraft. Nela, Anduin, com a ajuda de Varian Wrynn e Varok Saurfang, consegue se libertar da dominação no momento em que Zovaal o comanda para aniquilar os inimigos e a si mesmo no processo. Ao fazer isso, ele parte espada em duas, de modo similar ao que vimos no Mak’gora entre Saurfang e Sylvana no fim da Quarta Guerra. Com isso, a centelha do último resquício da alma de Arthas é liberado, sendo objeto de lamento por todos presentes e recebe de Sylvana suas últimas palavras, exortando pelo seu esquecimento.

Muito se falou a respeito da falta de zelo e pelo destino insignificante que foi conferido ao maior antagonista da história do World of Warcfaft, mas é bom lembrar que a proposta da direção do enredo era encerrar a história dele. Diante dos últimos acontecimentos estranhos, ter mantido o Arthas praticamente intocável não me parece uma solução ruim, pelo contrário, eu acho que é uma aposta segura.

O problema da cinematic não é o que ocorreu nela, mas sim o que não ocorreu. Sendo Jaina Proudmore a grande paixão em vida de Arthas e pelo profundo pesar que ela ainda carregava, a participação dela foi absolutamente lateral e deveria ter sido frontal, ou seja, era ela quem deveria lhe proferir as últimas palavras. 

O que na verdade carece de explicação é de onde saíram as almas de Saurfang e Varian para ajudar Anduin. Seriam elas apenas ecos que se vincularam à Shalamayne pelo fato dos mesmos terem morrido empunhando-a? Eles se manifestaram devido ao profundo vínculo com o espírito de Anduin? Não há explicação sobre isso.

Outro ponto interessante da raide é a luta dos Protótipos do Panteão, que são versões inacabadas dos Eternos, que foram desativadas por defeito e reativadas por Zovaal. A luta mostra, de certa forma, que os Eternos são um tipo de constructo elaborado pelos Primogênitos e isso pode ter repercussões no enredo que está por vir.

A partir de amanhã veremos o final da raide, pois serão liberados os derradeiros chefes e saberemos que fim terá Shadowlands. Se seu epílogo será instigante ou se teremos um final no qual ainda nos faltarão respostas.

Até lá!

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo