Crônicas

A “ruína” do Império Negro

Olá Azeroth!

Com a crescente influência do Império Negro sobre Azeroth, os heróis da Horda e da Aliança se colocam diante dos Portais para Ny’alotha com um único propósito, derrotar N’Zoth e acabar com a ameaça do último dos deuses antigos contra Azeroth.

Ao passo que os heróis começam a adentrar as visões de N’Zoth e fortalecer a Ashjra’kamas, eles percebem que as visões estão crescendo em intensidade e tamanho e que não há mais como protelar a invasão de Ny’alotha.

Ao adentrarem o portal, se deparam com o próprio Wrathion, corrompido pelo deus antigo, se colocando no caminho entre eles e a entrada da Cidade Desperta.

Ao derrotarem o Príncipe Negro, se dão conta que isso é apenas mais uma das ilusões de N’Zoth, tentando enganá-los. O verdadeiro Wrathion adentra o portal logo após o combate e o grupo se aprofunda dentro da Cidade Desperta.

Ny’alotha está fervilhando com sectários de N’Zoth e os heróis tem que abrir caminho com muita dificuldade até encontrarem os tenentes do deus antigo. A raide, ao todo, é composta de 12 chefes (Wrathion, O Profeta Skitra, Maut, a Inquisidora Xanesh, Vexiona, a Mente Coletiva, Ra-den, Shad’har o Insaciável, Drest’agath, Il’gynoth, a Carapaça de N’Zoth e o próprio N’Zoth).

Quando os heróis alcançam a Inquisitora Xanesh, se deparam com a própria Rainha Azshara, sendo torturada pela sua falha no Palácio Eterno. Ela pede ajuda para ser libertada em troca da arma que pode matar N’Zoth.

Ao final do combate, Azshara entrega Xal’atath para Wrathion e foge, reclamando que ela mesma teria matado N’Zoth se não fosse pela intromissão nos seus planos. Fica aqui um parêntese que Azshara está a solta novamente e ninguém sabe quais serão seus planos daqui pra frente.

Após a queda de Il’gynoth, os heróis avançam em direção ao próprio N’Zoth. Durante o percurso, os heróis posicionam âncoras titânicas para redirecionar o poder da Forja da Originação para atacar o próprio deus antigo.

Ao chegar na alcova de N’Zoth, Wrathion usa Xal’atath para abrir uma fissura no deus antigo, de onde sai a Fúria de N’Zoth, uma enorme aberração que confronta o grupo. Durante o confronto, os heróis adentram o próprio crânio do deus antigo, enfrentando seu cérebro na derradeira batalha.

N’Zoth é derrotado com 5% de sua vida restantes. Os heróis usam o Motor de Nalak’sha para potencializar a Forja de Originação que canaliza um raio de energia para o Coração de Azeroth que derrota o deus antigo.

Muitas perguntas ficam em aberto. N’Zoth está realmente morto? A batalha termina na Câmara do Coração, o mesmo lugar onde adentramos as Visões Horrendas. Será que isso é apenas mais uma visão que N’Zoth nos deu, apenas para nos enganar? Isso não é aprofundado no jogo.

Com o fim da batalha em Ny’alotha, a Horda reúne os representantes de cada uma das raças e decide que não haverá mais um Chefe-Guerreiro. Em tempos de paz, não há sentido em ter um. A Horda, a partir de então, será comandada por um Conselho, no qual cada raça terá um representante.

Não fica claro qual será o representante dos Renegados, uma vez que Lilian Voss não se sente apta a tal. Em contrapartida, a Aliança enfrenta problemas de coesão, pois Tyrande ainda quer vingança e quer a cabeça de Sylvanna.

O armistício está de pé, não se sabe por quanto tempo e a Aliança possui rachaduras que talvez só o tempo venha a consertar. O paradeiro da Rainha Banshee e seus legalistas (Nathanos e Gallywix) ainda é desconhecido.

Certamente ela será perseguida por Tyrande e talvez tenhamos mais notícias delas no patch pré-Shadowlands, que ainda não tem data para ser lançado.

Não fica claro, até o momento, o destino do Coração de Azeroth, se os afloramentos de Azerita foram estancados, se algo será feito a respeito da espada de Sargeras que está enterrada em Silithus (que provocou os primeiros afloramentos de Azerita).

Como sempre, existem muitas pontas soltas no enredo, deixando muito campo aberto para o próximo patch e subsequente expansão.

Com as primeiras minerações de dados do alpha de Shadowlands, já obtivemos algumas respostas para uma das mais latentes questões que ficaram em aberto de BfA.

Quem sussurrou o nome de Sylvanna no ouvido de Vol’jin no começo de Legion. Temos um nome somente, que é Mueh’zala, loa da morte da tribo Zangareia. Será ele o chefe de Bwonsamdi?

Até a próxima, onde trarei mais novidade sobre o enredo de Shadowlands com pitadas do livro “Shadows Rising”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo