Crônicas

Shadowlands: Caminho para a Dominação

Olá Azeroth!

Depois de mais um longo tempo sem trazer novidades, uma vez que a “vida” em Shadowlands está corrida, o tempo urge e o show deve continuar. Vamos hoje trazer os desdobramentos de tudo que aconteceu no Castelo de Nathria e as consequências da derrota de Sir Denathrius. Veremos também as primeiras respostas do que realmente o Carcereiro tem planejado e quais são os seus passos subsequentes.

Com a derrota de Sir Denathrius, Sylvana percebe que o Carcereiro tem uma agenda muito específica, da qual ela realmente não faz ideia. Ao ser pressionada a respeito de Anduin, ela tenta de todas as formas o persuadir livremente a se juntar à causa, coisa que ela fracassa. De forma nebulosa, o Rei de Ventobravo acaba finalmente sendo dominado pelo Carcereiro e passa a empunhar sua nova lâmina do Lamento, chamada de Lamento do Rei.

Com Anduin sob controle, o Carcereiro passa a investir sobre os pactos, para tomar deles seu signo. O Signo foi dado aos eternos pelos primogênitos como símbolo de seu propósito no pós-vida. Sabemos que o Carcereiro possui o signo de Revendreth, que foi ofertado por Sir Denathrius. Então, a primeira incursão do Carcereiro é no Bastião.

Anduin é levado à presença de Kyrestia. Ao chegar lá, ele se revela controlado por Zovaal e apunhala a Primogênita, tirando dela o Signo do Bastião. Após isso, então o Carcereiro parte para um ataque frontal a Ardena, colocando Sylvana no comando do ataque.

Durante a incursão, ela é confrontada por Tyrande, que tenta matá-la, porém no derradeiro instante Eluna lhe retira os poderes de guerreira da noite, permitindo que Sylvana fuja. Durante o conflito, Anduin se aproveita da distração das defesas para roubar o Signo de Ardena.

Os Eternos então se reúnem em Oribos e começam a debater sobre a situação. Eles decidem então que os pactos devem contra-atacar Zovaal na Gorja para enfraquecer suas fileiras. Ao chegar na Gorja, eles verificam que Zovaal puxou para seus domínios o reino adjacente de Korthia, a Cidade dos Segredos. Com a ajuda de Ve’nari, os heróis conseguem chegar em Korthia. Em seu primeiro contato com os arquivistas, você é testado e prova que é o caminhante da Gorja previsto em antigas profecias e passa a receber ajuda dos arquivistas. Então é aberto o caminho a todos os pactos para Korthia.

Durante o primeiro ataque à Gorja, com as forças de Maldraxxus, você encontra Danica, a Recuperadora, uma das Val’kyr de Odin. Você então é levado ao Salão da Bravura e conta a Odin o que está acontecendo. Descobre nesse momento que Helya está usando o seu Olho, que foi barganhado a muito tempo atrás com Mueh’zala em troca de um vislumbre das Terras Sombrias, para ajudar Sylvana e as forças de Zovaal.

Com a ajuda de Odin e as Val’kyren, o Olho é derrotado e é descoberto então que o Carcereiro puxou Korthia porque está procurando pelo Signo de Maldraxxus, cujo paradeiro até então resta desconhecido.

Com a ajuda dos arquivistas, você descobre que o Prócer escondeu o Signo em Korthia, por segurança. Após extensa pesquisa, você encontra o Signo selado com um magia nunca vista antes. Ao levar o Signo a Bolvar, ele sugere que o mesmo seja levado ao Entalhador de Runas, apesar dos riscos.

Ao chegar lá, o Entalhador de Runas, ao ter contato com o Signo, remove a magia que o envolve e revela o Signo de Maldraxxus. Nesse momento, o Entalhador de Runas começa a recuperar suas memórias e recupera sua forma original, se revelando ser o Prócer de Maldraxxus. No entanto, se aproveitando do momento, Zovaal investe contra o herói e o Prócer e com a ajuda de Anduin, toma o Signo.

Em posse de todos os signos dos pactos, o Carcereiro então parte para sua última investida. Oribos. Ele almeja o Signo da Juíza, que está inerte no pináculo de Oribos. Enquanto isso, o Prócer, ao tomar ciência dos fatos recentes, começa a organizar as defesas e traçar a estratégia para impedir que Zovaal chegue ao Sepulcro. Tudo isso passa pelo fortalecimento dos Pactos para que forjem novos Signos.

Trabalhando no fortalecimento de cada um dos pacto, Maldraxxus investe contra o Barão Vy’raz e Helya na Gorja, para abrir caminho para o assalto definitivo dos pactos. Durante o conflito, Thrall e Draka se encontram e após a batalha se revelam mãe e filho e iniciam uma extensa conversa de mãe para filho. Com a vitória e a união dessas forças, o Prócer consegue forjar um novo Signo para Maldraxxus.

Nesse momento é descoberta uma infiltração dos Nathrezim dentro das forças coligadas dos pactos. A investigação leva a Revendreth, onde o Príncipe Renathal e a Litorita inteferem para identificar os espiões. Quando o Medalhão da Ira é roubado, os heróis acabam descobrindo o plano de Mal’Ganis para libertar Sir Denathrius. Apesar de capturar Mal’Ganis, Sir Denathrius é resgatado com sucesso pelos seus Nathrezim e seu paradeiro passa então a ser desconhecido. (Nota do Jamiell: Nesse momento são confirmados todos os rumores de que os Nathrezim de fato servem a Denathrius e estão infiltrados em praticamente todas as forças do cosmos, inclusive na Luz. A sua agenda, no entanto, permanece obscura, apesar de isso abrir uma vastidão de opções a serem exploradas no futuro).

Com o Medalhão da Ira, o Príncipe Renathal consegue forjar um novo Signo para Revendreth. Nesse momento o herói se reencontra com Huln Alta Montanha, que está em busca dos primeiros guerreiros da Noite. Quando ambos são identificados, destaca-se que a própria Litorita é uma delas. Então é elaborado um ritual para que Tyrande não seja sobrepujada pelo poder de Eluna.

O ritual revela que Eluna é na verdade irmã da Rainha Invernal e que suas decisões pretéritas foram em prol da mesma. Ainda que ela não soubesse da interferência de Zovaal no funcionamento das Terras Sombrias, ela enviou milhares de almas dos Elfos Noturnos para ajudar Ardena. Com o fim do ritual, Eluna deixa uma lágrima, que é usada para forjar um novo Signo para Ardena.

Outra questão que carecia de solução era a situação dos Perjuros em relação ao Bastião. Eles haviam se separado do caminho do Propósito e eram rejeitados pelos aspirantes e ascendidos. Thênios era o encarregado em cuidar de Uther desde sua rendição após a queda de Devos. Ele pede ajuda para resgatar o fragmento da alma de Uther que está faltando. Adentrando Thanator, o herói consegue recuperar esse fragmento e ajuda Uther no processo de se reencontrar com suas memórias, que estavam corrompidas e distorcidas pelo aprisionamento em Thanator causado pela Gélido Lamento.

Uther então parte com o Polemarco Adrestes para conversar com os Perjuros alocados no Templo da Lealdade. Desse movimento, nasce o Templo da Devoção, que permite aos aspirantes escolherem qual caminho traçar dentro do Bastião, se manter suas memórias e aprender com elas, ou se perdê-las como forma de superar. Kyrestia nomeia Adrestes como Paragão da Devoção e com essa nova força conjunta, forja um novo Signo para o Bastião.

Com o restabelecimento dos poderes dos pactos, a investida é contra o Sacrário da Dominação, onde o Carcereiro está estabelecido, com seus asseclas. É uma raide de 10 chefes, cuja história e desdobramentos ficam para a próxima oportunidade.

Até lá.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo