Crônicas

A trilha do Sacerdócio

Olá Azeroth!

Os ventos impetuosos da mudança também sopram nas Ilhas Partidas. Essa semana Golimär completou um mês de incursão na Tumba de Sargeras.

O dia 25 de julho marca o começo de uma nova jornada desse site. Golimär, Sacerdote Sagrado é aceito no Core da Guilda Os Gladiadores e inicia sua campanha na Tumba de Sargeras.

Muitos desafios estavam à frente. Golimär entra na Tumba com equipamento bastante limitado, mas com muita determinação e muita vontade de progredir. Eram os primeiros desafios como Sacerdote Sagrado, pois ele nunca havia entrado em Raide pra valer mesmo.

Depois de algumas semanas ele tem progredido muito, evoluído a cada semana. Não só em equipamento, mas em conhecimento da classe e entrosamento com um grupo que o recebeu de braços abertos. Golimär esteve em todos os momentos, cercado de apoio, incentivo, bons professores e acima de tudo, um ambiente de raide saudável, com uma boa dose de proficiência e descontração, na medida certa, em um equilíbrio bastante consistente nesses dois aspectos.

Os frutos começam a surgir. Pequenos, porém cada degrau que ele sobe é motivo de satisfação pessoal. De fato, tem sido cansativa a rotina de ter duas frentes de batalha na raide e dar a ambas o carinho e a dedicação que elas merecem, no entanto, isso é retribuído com muita satisfação, muitas risadas e a descontração que a vida estressante fora de Azeroth demanda.

Fica aqui o agradecimento a ambos grupos, um por nos receber com tanta generosidade e ao outro por me apoiar, incentivar e compreender o desejo de enfrentar novos desafios. Estamos na última semana antes do patch 7.3, onde teremos uma nova carga massiva de conteúdo, mas estaremos prontos para derrubar fronteiras.

Prece de Cura para todos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo