Crônicas

Cinematic de Dragonflight em detalhes. O que não passou desapercebido.

Olá Azeroth!

Hoje vamos falar da cinematic de revelação de Dragonflight e os pontos que não passaram desapercebidos. Eles podem trazer respostas ou apenas mais perguntas? É o que veremos a seguir.

A cinematic começa 10.000 anos antes, no momento da Cisão causada pela Guerra dos Antigos. Vemos na seguinte cena, a cisão sendo observada pelos vigias titânicos:

O que podemos questionar de início é que já naquela época as Ilhas dos Dragões já eram afastadas do grande continente, haja vista o ponto central da cisão, recoberto por magia, estar no horizonte além do oceano. Aqui podemos ver o mapa de Azeroth naquela época:

Estamos diante de um novo “retcon” no que diz respeito à geografia primordial de Azeroth? Tudo indica que sim e certamente haverá algum tipo de introdução ou explicação a esse fato.

Na sequência, vemos um dos Vigias, que em breve vamos falar mais dele, acionar um dispositivo titânico, conectado a terra, desativando-o:

Seria ele Tyr? Mas isso seria outro “retcon”, tendo em vista que a história estabelecida dele hoje aponta que ele sucumbiu nas Clareiras de Tirisfal (daí a origem do nome “Tirisfal” – Tyr’s fall). É muito estranho, porque adiante na cinematic podemos ver o mesmo vigia sentado no trono, carcomido pelo tempo e… sem um dos braços:

Será esse Tyr, cuja mão foi devorada por Galakrond e posteriormente substituída pelo Punho de Prata? Ou será apenas outro vigia aleatório e resta sobre ele apenas um suspense? Qual o sentido de mexer na história do Tyr agora? Existem rumores sobre Galakrond e essa expansão… seria isso uma conexão entre o rumor e a história que virá de fato?

Falando no momento de despertar das ilhas, um brilho estranho aparece sob as águas no momento em que o primeiro vigia desperta:

As Ilhas dos Dragões são conhecidas por deterem enormes poderes elementais, no entanto, esse brilho na água me lembra outras coisas. Uma possibilidade é o dano causado por Zovaal à alma do mundo estar derramando essa energia nas águas, ou um possível e bizarro indicativo que a maga mais poderosa de Azeroth possa fazer uma aparição inesperada. Azshara. Será que a Rainha das Nagas tem algo a ver com esse despertar?

O que me faz pensar no que Zovaal causou a alma mundo ter relação com o despertar é o momento no qual esse vigia adentra as estruturas da ilha, que demonstram clara ligação com o centro do mundo, e consequentemente, com a alma mundo:

Outro detalhe que não passou desapercebido, runas, sim, existem runas muito familiares nessa estrutura:

Pois é meus amigos, há algo de estranho nisso tudo e eu espero de verdade que dessa vez venham respostas, e a Blizzard não se perca num beco sem saída de enigmas intermináveis. Por fim, algo que está claro é que uma das nossas missões é ajudar o Chifre de Ébano e o Wrathion a restaurar a Revoada Negra, visto que ela de fato não está presente na cinematic, como podemos ver:

Por enquanto é isso. Assim que sair mais algum conteúdo interessante, eu venho contar. Pra quem não viu, segue a íntegra em português da cinematic:

Até a próxima!!!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo