Crônicas

Zovaal: O mais genérico gênio do mal do cosmos.

Olá Azeroth!

Hoje vamos falar de Zovaal, o Carcereiro, o Banido. O mais genérico de todos os antagonistas de World of Warcraft e talvez um dos personagens mais controversos desde o princípio da saga. Desde que Shadowlands foi anunciada, a Blizzard tentou por todos meios criar relevância para ele através de “retcons”, no entanto, nunca conseguiu convencer ninguém que o Carcereiro seja de fato, tão poderoso, tão mal e tão ardiloso quanto fora anunciado.

Me lembro como hoje do dia do anúncio de Shadowlands, quando Ion Hazzikostas começou a falar sobre a misteriosa figura do Carcereiro, ainda sobre as primeiras cinematics liberadas juntamente com o anúncio. Ele dizia que o Carcereiro era extremamente poderoso, cujo poder ele equiparava a um “Titã ++”.

A sombria figura do carcereiro anunciada com a expansão praticamente nada tem a ver com a versão do personagem apresentada no lançamento da mesma. Zovaal se mostrou apenas um enorme ser com correntes partidas, um peito vazio, o corpo coberto com runas semelhantes às da Gélido Lamento e pés descalços.

A história dele, do ponto de vista canônico, atualmente, é que ele era o Árbitro das Terras Sombrias e percebeu que a realidade, dividida entre forças cosmológicas apartadas, era incapaz de enfrentar um hipotético mal maior que se aproxima. Então ele resolve invadir o Sepulcro dos Primogênitos, se utilizando dos selos dos pactos, para abrir o caminho, para ter acesso às ferramentas que lhe permitam recriar a realidade.

Os Eternos então, percebendo suas ações, o removem de suas funções, retiram seu signo, e o condenam a permanecer na Gorja por toda eternidade. Para tal, o Prócer grava em sua carne as runas da recém criada magia da dominação.

Durante seu aprisionamento, ele aprende a controlar a magia da dominação e começa então a agir como regente da Gorja, controlando e torturando as almas de lá e subjugá-las a servi-lo. Nesse período, ele volta a trabalhar em seu objetivo de recriar a realidade para algo que lhe sirva e começa a espalhar sua rede de influência. Mas como? Talvez nunca saibamos como a Gorja, enquanto inescapável, não foi capaz de contê-lo.

Ele ordenou a captura dos líderes das facções, vimos essa cinematic logo no lançamento. Mas, para quê? Para apenas usar Anduin. Nas primeiras semanas de Shadowlands libertamos Baine, Thrall e Jaina. Esses aliás praticamente tiveram uma passagem pela expansão completamente irrelevantes, sem ter praticamente nenhuma participação decisiva.

Se Zovaal era tão astuto, deveria saber que o único alvo que lhe interessava de fato era o Anduin, então por que levar os outros? Ele não tinha recebido informação suficiente de Sylvana? Aqui começa a sequência de inúmeros vacilos do Banido, pois durante o curso de dois anos dessa expansão, ele os colecionou.

Ele estava aprisionado na inescapável Gorja, o lugar amaldiçoado das Terras Sombrias, o lugar de onde ninguém conseguia sair. Pois bem, como então ele conseguiu ter contato com seres cosmológicos de diversos reinos sem sair de lá? Ele fez um pacto com Sir Denathrius que foi a tônica do primeiro patch da expansão, mas como eles se falavam?

Ainda no primeiro patch, é descoberto que o Prócer de Maldraxxus está desaparecido. Logo no início do segundo patch, é revelado que ele está aprisionado em Thanator, sob efeito das correntes da dominação, que fica na Gorja. Como o Prócer chegou até lá para ser capturado?

O Prócer é o general invencível das tropas de Maldraxxus, que criou a magia da dominação e foi facilmente aprisionado por Zovaal utilizando sua própria magia, mas essa discussão fica para outro post.

Nesse tempo, a Blizzard deu apenas gotas dos planos do Carcereiro, passamos mais um de ano sem saber sequer sua real forma. No segundo patch, ele começou a colecionar os signos dos pactos. Se esses artefatos feitos pelos Primogênitos são tão poderosos, capazes de abrir o caminho de Zovaal até o Sepulcro dos Primogênitos, como eles eram apenas berloques dos Eternos, que geralmente estavam mal protegidos?

Foi muito fácil para Zovaal conseguir os selos, porém, igualmente fácil para os Eternos criarem novos. Qual o sentido disso?

Durante essa caminhada, todas as aparições do Zovaal foram monossilábicas, vagas, se usando de clichês e frases de efeito, porém, não há, em momento algum, um aprofundamento da personalidade do personagem nem tampouco ações de fato. Zovaal se mostra cada vez mais superficial e previsível.

Sua estratégia, inclusive possui várias falhas. Ele deixa Sylvana viva quando é previsivelmente traído, mesmo com ela sabendo muitos detalhes de seus planos. Até a questão do Lich Rei é mal explicada. Se Ner’zhul fracassou e Arthas usou os poderes em interesse próprio, porque ele não ordenou que os Nathrezim o derrubassem?

Falando em Nathrezim, se eles são leais a Denathrius, porque eles continuam servindo o Zovaal mesmo depois do mesmo ter abandonado Sir Denathrius no fim do primeiro patch?

Alguns pontos capitais do plano de Zovaal serão revelados no livro da Sylvana, cujo lançamento oficial foi anteontem, mas a Amazon ainda não entregou meu exemplar. O que se sabe até então é que Zovaal conseguiu convencer Sylvana a ajuda-lo se utilizando da morte de Lirath para tocar na ferida sentimental dela.

Ademais, quando o Carcereiro chega em Zereth Mortis, ele encontra o acampamento dos Iluminados e os heróis, mas decide que não há necessidade de enfrenta-los. Mais um cliché clássico de todo vilão mal elaborado: subestimar quem pode derrotá-lo.

Mais uma aparição dele, de menos de 30 segundos, falando apenas duas frases, sempre usando expressões como “mortais tolos”, “mortais inúteis” e coisas do tipo. Nunca houve sequer uma ação dele como vilão, nenhuma demonstração de crueldade e impiedade. Pelo contrário, ele foi “bonzinho” ao devolver para Sylvana o fragmento de sua alma que ele havia guardado consigo.

Ele delegou todas suas ações para seus comandados, nunca colocou a mão na massa. Falta coragem nele para se colocar à frente e ser perverso. As suas tramas são apenas remendos no enredo estabelecido a anos, que em muitos casos não fazem tanto sentido.

Enfim, a memória que guardaremos dele não é de um “Titã ++”, mas apenas de um personagem que rendeu bons memes, como as piadas com seus mamilos, mas nunca convenceu ninguém de sua maldade, quiçá se mostrou capaz de realizar seus planos. Esperamos que no futuro essas forças cosmológicas antagônicas tragam alguém que seja mais capaz de nos deixar horrorizados e desejar enfrentá-lo em combate.

Até a próxima!

Artigos relacionados

2 Comentários

    1. Pois é. Era um vilão que teria potencial se tivesse dado mais a cara a tapa, mas nada dele foi aprofundado, é um cara que foi derrotado no fim da expansão e que ninguém sabe exatamente o porquê.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo