Jamiell News

Ecos de Ny’alotha

Olá Azeroth!

Aproximadamente 60 dias se passaram desde o lançamento do patch 8.3. Durante esse tempo pudemos explorar o último conteúdo da expansão Battle for Azeroth em praticamente todas as suas frentes.

O procrastinatório e duramente criticado patch completou essa semana seu segundo mês de lançamento tentando se manter no duro desafio de manter a comunidade entretida até o lançamento do patch pré-expansão de Shadowlands.

Conforme abordamos anteriormente, o patch fora lançado incompleto, repleto de problemas e com um conteúdo bastante limitado, redundante e explorando o grind. Do lançamento para cá, vimos a corrida pelo “World First” aquecer a comunidade, tomar uma proporção enorme e provavelmente, nortear o futuro do conteúdo de raide do jogo.

Pela primeira vez desde Pandária, uma guilda Norte Americana venceu a corrida, a Complexity-Limit, do servidor Illidan. Com o aporte financeiro de patrocinadores, a Limit se deu ao luxo de ter seu líder de raide apenas conduzindo e capitaneando o grupo, apenas como expectador, sem jogar.

Essa inédita estratégia fez muita diferença no desempenho do grupo, que conseguiu desbancar a “toda-poderosa” Method, que sofreu muito na última luta, N’Zoth. A derrota mexeu com as estruturas da guilda, que promete mudanças para a próxima expansão, inclusive na sua composição.

Os preparativos para a competição foram marcados por um grind pesadíssimo das guildas que se destacam no cenário competitivo. Ficou claro que o grind do Coração de Azeroth e dos itens corrompidos teve um papel preponderante no resultado final.

A despeito desse cenário, o jogador comum tem reclamado estrondosamente da imposição de requisitos para aprimorar o manto lendário, da qualidade de vida no conteúdo diário (missões diárias de Uldum e do Vale das Flores Eternas), da hostilidade do sistema para personagens alternativos e da falta de um conteúdo mais dinâmico no patch.

Durante esses meses, a Blizzard semanalmente procurou tentar ajustar o sistema de corrupção de itens, que se mostrou muito mais aleatório, muito mais baseado no “rng” e absurdamente desbalanceado. Para quem reclamava da desproporcionalidade da forja titânica, os itens corrompidos se mostraram muito mais impactantes.

Paulatinamente, a Blizzard foi cedendo às reclamações e começou a ajustar o patch para facilitar as coisas. Nessa última semana foi implementado um sistema de compra das Essências nível 3 do Coração de Azeroth para personagens alternativos.

Basicamente, todo tipo de conteúdo que você fizer com o personagem te recompensará com Echoes de Ny’alotha. Com 500 echoes, você poderá comprar uma essência nível 3. Isso poderá recolocar os alts em atividade no jogo, porém ainda assim obrigará o jogador a farmar esses echoes. Nas próximas semanas veremos a proporcionalidade desse farm.

O final da expansão se aproxima e por conta disso, a Blizzard começa finalmente a diminuir a intensidade do grind no jogo. Nós tínhamos a promessa de que BfA seria uma expansão amigável para personagens alternativos e foi completamente o oposto.

As recentes atualizações deveriam fazer parte do sistema desde sempre se a intenção fosse ser amigável para personagens secundários. Devemos nos lembrar que a Blizzard sempre facilita as coisas no fim da expansão, para que os jogadores tenham a possibilidade de preparar personagens diferentes para a expansão subsequente.

Em breve traremos novidades da lore do jogo pós Ny’alotha e sobre as perspectivas para Shadowlands.

Até lá!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar