Crônicas

Oito meses em oito parágrafos

Olá Azeroth!

Estamos de volta depois de 8 meses sem conseguir atualizar conteúdo. Esses meses tem sido exaustivos por conta do fim da progressão na Tumba de Sargeras, lançamento de Argus e a progressão em Antorus.

Tumba de Sargeras foi a raide mais difícil dos últimos tempos. Não é à toa que o o Kil’jaeden demorou 19 dias para cair e nada menos que 654 wipes para ser derrotado pela Method. Depois, todas guildas que conseguiram fechar o conteúdo, não iniciaram farm, por considerarem a luta estressante e difícil demais. Algumas guildas brasileiras inclusive, após a queda do mesmo, tiveram seu grupo desfeito.

Ciente do exagero, a Blizzard prometeu que a derradeira Raide de Legion, Antorus, o Trono Ardente, seria menos exigente. Para ingresso na raide, houve uma pequena campanha em Argus, onde foram desbloqueadas as funcionalidades do Crisol de Eterluz e da Vindicaar.

A campanha trouxe novas tropas para os salões de classe, novas missões e alguns itens de reputação com as novas facções (Exército da Luz e Casta Argussiana). Argus também possui ciclo de missões mundiais próprio, assim como chefe mundial e o conceito das invasões menores, que são cenários de curta duração.

Antorus foi aberta em 28 de novembro, trazendo seus 11 chefes, o último tier de Legion e os últimos itens lendários da expansão. Um berloque e um anel, sendo que o anel é recompensa de missão. A última raide de Legion trouxe um cenário já conhecido pelos jogadores mais experientes. Primeiro, a empolgação com o lançamento da raide e em algumas semanas, o esvaziamento dos servidores.

Decorrência prática da perda de interesse com a chegada do fim do conteúdo da expansão, a diminuição na população dos servidores obriga as guildas a recrutarem novos jogadores, remontar grupos e até mesmo a divisão de grupos inteiros. Esse cenário se apresentou rapidamente em Legion, obrigando a Blizzard a anunciar o conteúdo da próxima expansão.

Battle for Azeroth está por vir, e com ela, o sepultamento de coisas que não deram certo em Legion (Itens lendários com saque aleatório, o acúmulo irrefreável de poder de artefato, dentre outras coisas). São anunciadas modificações no leveling, no World PVP, a criação de servidores dedicados ao conteúdo clássico do jogo, novas modalidades de cenários PVP, a inclusão de raças aliadas (um novo conceito de agregar raças jogáveis às facções) e um novo item de poder crescente, um colar chamado Coração de Azeroth.

O anúncio caiu como uma bomba de ânimo na comunidade, principalmente com o adiantamento de algumas funcionalidades ainda dentro do Legion (duas raças aliadas para cada facção e o escalonamento dos mapas de acordo com o personagem). Isso trouxe uma nova safra de jogadores que se animaram com as raças e vão aproveitar o fim de Legion para elevar seus novos personagens para a próxima expansão.

Pessoalmente muita coisa mudou nesse tempo. Golimär, com sentimento de dever cumprido, entra em férias para a próxima expansão, dando lugar a Balthadin, que entra como Paladino Sagrado no core da guilda Os Gladiadores. Já estamos no mítico e estamos recrutando, venha jogar conosco!

Pela Horda!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo